quarta-feira, 22 de maio de 2019



EDITAL
ART’LEV

Olá! Senhores e Senhoras,
Caríssimos Jovens Escritores e Poetas!... 
Atenção para o Edital de
Número 1 da ART’LEV

Espero que esteja conforme o que foi solicitado. Pois entendo que seja um documento, que retrata o que se pretende informar, e o que está para acontecer e possamos explicar seus caminhos.
A ideia deste é poder divulgar escritores iniciantes onde todos possam estar inclusos num projeto de ter seu livro. E desta forma cooperar com a disponibilidade de todos que quiserem exibir e ampliar seu conhecimento através da publicação sem fazermos tanto sacrifício na sua divulgação. Escrevemos com o coração e quando nos chega a razão saímos por muito tristes ao ver o que nos é apresentado perante nossa obra literária.
Você sabe caro escritor o quanto é difícil editar um livro sem qualquer custo a mais, já que temos editoras que cobram muito e mesmo até longe da realidade, e quando não temos alguém que se disponha a fazer este trabalho perdemos muito.  Portanto o trabalho desta é trabalhar para que possa ser entregue em tempo hábil o livro desta antologia em formatos digitais, E-Book. 
Enfim, segue mostra do trabalho, digital onde você caro escritor e poeta pode ver o trabalho que se dispõe para todos que assim queira participar. Esta espero que seja a primeira de muitas, e que venham fazer o próprio com a ART’LEV editora online.  O prazo desta poderá ser bem rápido dentro de trinta dias, a partir do momento que fechemos o projeto.  Vamos contar seu conto, e registrar o que você sabe.
 Grato a Todos e Uma Excelente Narrativa !
                Então a partir de agora está dada a largada para quem estiver interessado a participar. O encerramento de arrecadação dos textos será até dia 05 de junho de 2019.
O limite de participantes ainda não está definido, nem o número de contos e crônicas. Caso tenha algum dos escritores, escritoras que queiram o livro impresso, por favor, comunique para que façamos o livro para impressão.  Este terá um valor de R$ 100,00; que poderá ser depositado na conta do Banco do Brasil. AG. 1681-0; Conta: 39.898.5


Alexandre Oliveira
CONTATO: artpoesia2019@gmail.com

terça-feira, 21 de maio de 2019

WhatsApp


Luana Gabriela

Queridinho por muitos e odiado por alguns.
Nossa!!! Isso lá são maneiras de começar uma crônica, querida escritora?
Tá bom... Me desculpe... Vamos começar de novo.
Esse tão moderno e ao mesmo tempo antigo aplicativo vem sendo cada vez mais fonte de aproximação para alguns, ferramenta de trabalho para outros, um jeitinho meio moderno de matar a saudade (pra isso sou a moda antiga, saudade pra mim ainda se mata com presença), uma maneira de se distrair jogando fora um papinho, desbancando de vez o bom e velho telegrama, não vou nem mencionar as cartas que iam pelo Correio, porque levavam dias para chegar e chega a ser cruel compará-las com a velocidade do whatsApp.
Alguns devem estar pensando, mas é pra isso que serve a tecnologia e a modernidade. LEIA MAIS

Dono da Cocada Preta

Alexandre ď Oliveira



Acontece a todo momento coisas que nos deixa perplexo, ou com sensação de culpa, entretanto dentre um verso e outro eu procuro refletir, ir mais a fundo, procurar entender todos seus detalhes porque  sobre aquele momento no qual passei. Eu não sei se estou certo ou errado quando recordo dos seriados de TV de antigamente que nos fazia pensar.
Tanto que hoje recordo Baretta que era uma série policial, a La mexicana e tinha outra que nos fazia pensar antes de cometer qualquer bobeira. E, dentre nós virou Meme. Era também policial. Era de um sujeito careca, que tinha vício de estar com um pirulito na boca, se achando o maioral. Hoje estes usam barba fechadas, e nem sempre gostam de combater o mal. E só querem estar dentre elas, Às Panteras.  LEIA MAIS 

Lá Vem o Sol


borboletas


sábado, 18 de maio de 2019

Cesta de Três Pontos



  


 Imagine você ir para um espetáculo onde aqueles que são os atores atuem sem precisar de mais alguém que trabalhe com esses. Será que funciona?...
Será que uma partida de futebol num estádio muito bonito como esses que fizeram antes da copa iria adiante caso não tivesse aqueles que se desdobrassem para proporcionar a você boa localidade para assistir ás partidas, em que de certa forma você não fosse incomodado. Então, como ser possível isto?...   
Gente, eu creio que para alguma realização temos que estudar bem o caso que nos é oferecido, este tem que contar com várias pessoas envolvidas. Os protagonistas para trabalhar bem dependem de muitos, e se bem entendem o que estou comentando, nem sempre aquilo que se faz é totalmente igual.
Aqueles que querem aplausos dos seus expectadores tem que aceitar o trabalho daqueles que fazem parte da coordenação, ninguém que esteja no proscênio vai dar vida a um personagem se não tiver iluminação no palco, não dará segmento, caso o sonoplasta, nem mesmo o contrarregra, não cumpra seu trabalho de executar ás trilhas, de mover algum objeto de cena, tanto que eu vos digo: ensaie os caminhos que nos leve ao que interessa. Existem momentos que temos que aceitar as regras do jogo, que são muitas e exigem muito de nós que estamos na infantaria, sendo apenas soldados. Para eleger, vamos pelas ruas conversando, ouvindo pessoas que nos retrata toda situação que passam. 
Então, é inteligentíssimo que você saiba atacar, ante, recuar. Pois, aquele que ataca, deve também saber se defender para ganhar o jogo com todas as pedras intactas. Aquelas que estavam à frente podem recuar e depois irem novamente para frente, tem que ter um revezamento tal qual o jogo de vôlei, enquanto houver possibilidade de jogo. Não pense que você ganha a batalha na primeira instância sem sequer estudar suas possibilidades.
Digamos, se você estiver de centro avante e houver por algum motivo necessidade de você vir atuar na zaga para ganhar o jogo, você não iria aceitar?...   Eu creio que um bom jogador que quer continuar em campo não pode, e nem deve estragar sua oportunidade, se mais tarde este possa fazer a diferença e, ser aceito por todos.
 Trocando em miúdos, é isto que vejo ser necessário. Pois quanto mais participo do jogo mais posso ganhar sem ao menos contundir ninguém. Matar, por matar não é jogo. Pois é dito que temos que usar a cabeça, ser inteligente, e que macaco que é macaco não mata macaco, ele aprende o jogo e faz de tudo para ganhar a próxima partida, isto é, se não ganhar o embate na primeira vez.
A inteligência de cada um de nós é que é o segredo do negócio, e pronto. No basquete é cesta de três pontos e vitória certa.